Estações da Vida

cara do Mês Denis MelloPare e pense. Quantas vezes você fez parte da sua agenda nos últimos 365 dias? Quantas vezes estiveram em pauta os temas “você e os filhos”, “você e a companheira ou o companheiro”, “você e os amigos”, “você e os pais”, “você e os vizinhos”, “você e o lazer”, enfim, “você e você”?

É incrível. Mas quando paramos para avaliar quanto tempo e energia dedicamos às nossas relações, emoções e realizações pessoais, geralmente, constatamos o quanto deixamos de cumprir.  O tema “Você e o trabalho” lidera o ranking de nossas vidas, para usar uma expressão das onipresentes redes sociais.

A profissão é importante? Não resta dúvida. Grande parte de nossa felicidade depende dela. Porém, não basta. Assim como não é suficiente apenas casar, ter filhos, ter amigos ou ter vida social intensa. Enfim, a limitação em qualquer um dos aspectos da vida nunca será suficiente.

Os grandes pensadores universais estão aí para confirmar. Para o pai da psicanálise, por exemplo, nosso equilíbrio mental está diretamente relacionado à capacidade de integrarmos nossas diferentes realidades, ou seja, uma alimenta a outra. Assim, para Freud, o objetivo da psicoterapia é levar a pessoa a amar e trabalhar satisfatoriamente.

Já para o poeta e filósofo francês Voltaire o trabalho “… nos livra de três grandes males: o tédio, o vício e a pobreza”. Então, não se trata de colocar de lado nossa vida profissional. Segundo a psicanálise, o ideal é conciliar. Então, por que não aproveitarmos nossas habilidades como homens e mulheres de negócios para avaliar e aprimorar as relações pessoais?

Primeiro, responda com sinceridade: nos momentos de tomada de decisão na empresa e na relação com seus filhos, você tem a mesma paciência e habilidade para avaliar qual o melhor caminho a seguir? A política de excelência em comunicação é colocada em prática na intimidade? O nível de tolerância e sabedoria é o mesmo ao lidar com diferentes perfis de subordinados e em conflitos entre amigos, vizinhos ou parentes?

Segundo, tente parar e refletir sobre um planejamento anual que proporcione mais satisfação e realização, inclusive no trabalho. Será que mesmo nos negócios você está sendo verdadeiro com seus objetivos profissionais e trabalhando em parceria com colegas, em favor das metas da empresa? Você compromete a qualidade do trabalho, fazendo concessões por omissão ou por uma política pessoal de permanência na empresa? Enfim, você está dando o melhor de você?

Questionamentos não nos faltam. Quando penso que temos várias vidas, já que vivemos diferentes fases, me empolgo com o futuro e me recordo da definição do personagem Dom Casmurro, de Machado de Assis, para quem “cada estação da vida é uma edição de um livro, que corrige a anterior e que será corrigida também”.

Pare e pense.

Até a próxima Carta do Mês!

Denis Mello

Diretor-presidente

ENTRE EM CONTATO CONOSCO

Nossos consultores irão entrar em contato em breve.