Que tal trocar a lâmpada?

Tudo o que foi realizado pelo homem, até hoje, foi construído antes em espírito. Ou seja, antes de ter o seu primeiro imóvel ou o seu primeiro empreendimento, você teve primeiro a vontade de construir seu futuro e depois a determinação de levar esse sonho adiante até se transformar em realidade, às vezes mesmo sem ter condições financeiras para isso.

Mas sua presença de espírito e sua garra foram mais do que suficientes. E você conseguiu. Não estou dizendo isto para massagear egos, mas para tratar de um problema que vem sempre a reboque dos períodos de súbita paralisia e inesperada indefinição de mercado e atinge empresários e colaboradores: o desânimo. Recentemente, antes da pandemia, fui visitar uma grande empresa no centro-oeste do país. Apesar da simpatia robotizada da recepcionista, não pude deixar de reparar no carpete gasto e puído, no quadro torto e desbotado na parede e na generosa camada de poeira num cantinho da escada.

Como dizia Oscar Wilde, “só pessoas superficiais não julgam pela aparência”.

A recepcionista nos conduziu para uma sala de reunião, onde o presidente nos recebeu com um sorriso protocolar. Ele começou a acender as luzes da sala de reunião e verificou que uma delas, justamente a principal, não funcionava, o que nos obrigou a uma mudança de sala.

Quando começamos a conversa sobre os problemas da empresa, eu disse: -“ O problema da sua empresa é a lâmpada queimada”. Diante de uma risada inicial do presidente, ele se mostrou intrigado.

Expliquei que às vezes ficam tão preocupados com a empresa que acabam se esquecendo de cuidar dela. Assim como a roupa revela o homem, uma lâmpada queimada na sala de reunião ou um carpete gasto na recepção demonstram o estado de espírito da empresa, que geralmente é uma projeção do estado de espírito da alta direção.

E uma empresa malcuidada é o hábitat ideal de uma equipe desmotivada, integrada por pessoas com baixa expectativa e sem ideias próprias. Minha primeira proposta para essa empresa foi trocar a lâmpada por uma nova, com maior poder de iluminação. Em outras palavras, jogar fora velhas ideias que não funcionam mais e buscar com entusiasmo novas ideias, novas soluções.

Acho que minhas palavras acenderam de novo o espírito daquele empresário. Ele começou a contar com entusiasmo do começo do negócio: muita dificuldade, muitos obstáculos e nenhum dinheiro. Apenas uma ideia na cabeça e a convicção de levá-la até o fim. “E se você tivesse começado com a experiência e os recursos financeiros que tem hoje?” – perguntei. – “Seria um dos maiores do país”. – ele respondeu.

De primeira, disse a ele que começasse hoje, porque tem a oportunidade agora para fazê-lo. E digo a mesma coisa para você, neste momento da pandemia, que talvez esteja passando por uma crise de depressão empresarial. Lembre-se de como era quando começou. Resgate as suas qualidades, sua ousadia e determinação que ficaram sufocadas nas preocupações do dia a dia. E lute por elas.

Porque o sonho e o entusiasmo só são fantasias para aqueles que nunca realizaram nada na vida.

Apesar de tudo, recomece hoje.

Você é o próprio modelo de sucesso.

Pense nisso e até a próxima carta do próximo mês.

Denis Mello

Diretor-presidente

ENTRE EM CONTATO CONOSCO

Nossos consultores irão entrar em contato em breve.